Infinity Drake | John McNally

A história gira em torno de Infinity Drake, um jovem que está indo passar um tempo com seu tio Al. Mas, quando estavam saindo para acampar um helicóptero os persegue porque os mais importantes líderes do país precisam do seu tio. A partir desse ponto Drake se vê dentro de uma missão atrás de outra para destruir uma arma muito potente que pode matar mais de 6 milhões de pessoas. Tudo depende de uma pequena equipe para salvar o mundo. Drake passa a usar todo seu conhecimento – mesmo sendo uma criança e podendo não aparentar saber muito – para ajudar a equipe em vencer mais essa ameaça.
E ao contrário da maioria dos livros que tem um único vilão, aqui temos dois. O primeiro é um cientista que era muito famoso e requisitado, até que algo deu errado. Então dedicou sua vida para provar sua teoria e também daqueles que o prejudicaram. Não gostei dele porque o achei muito fraco. Fez algo horrível e estava se achando o melhor de todos os homens. Porém, sua mentalidade era tão fraca, ficou tão arrogante que não conseguia enxergar nada na sua frente. Nem mesmo a sua possível derrota.
Um problema que encontrei no livro foi a sua narrativa. Ela muda diversas vezes. Mesmo tendo uma sinalização mostrando em que está sendo o foco na vez, eu achei que ficou um pouco confuso em alguns momentos. Sem contar que a escrita ficou um pouco pesada para os jovens. Muitos termos não conseguia entender mesmo com o doutor explicando o que estava acontecendo ao redor deles. Em alguns momentos ficou um pouco cansativa a leitura, na verdade foi mais próximo do final que parecia estar se arrastando um pouco. Porque mais da metade do livro estava fluindo muito bem, tanto que quando estava chegando perto do final nem acreditei de tão rápido que foi.
Esse foi o primeiro livro da Irado que eu realmente peguei para ler. Achei a edição fantástica com sua capa dura e sua ilustração mais do que bem feita. Julgando o livro pela capa, sem dúvidas você levaria para casa ler – se é que você gosta de literatura infanto-juvenil. – Mas a questão é que, com o passar das páginas você vai vendo que a ficção e a fantasia vão passando um pouco dos limites e isso te deixa um pouco exausto, até mesmo eu que amo literatura infantil.
O lado bom da história é que cada personagem tem sua personalidade intacta do início, meio e fim da história. Eles não mudam drasticamente e o autor evitou até mesmo colocar aquelas crianças mimadas na história. Sem dúvidas Infinity Drake é uma criança diferenciada, e muito. Se você for fã de literatura infanto-juvenil e gosta de aventuras e ficção, esse livro é a minha indicação. 


Alison Iared

20 anos, apaixonado por teatro desde pequeno. Cursa o segundo ano de Engenharia de Produção. Gosta muito de filmes e séries sobre heróis, ficção, aventura, desenho e comédia. Eclético para livro e música. Gosta de desafios e é muito teimoso. Tem a paciência do tamanho de uma noz para coisas que não são do seu interesse. Sempre quis ser o Power Ranger vermelho.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

8 comentários:

  1. Estou muito afim de ler esse livro e outros da Irado. Gosto muito de literatura juvenil. E quando o livro tem capa dura, já um ponto a mais para eu ter/ler.

    ResponderExcluir
  2. Personagens que amadurecem diante o enredo da história sempre são os melhores (na minha opinião). Gosto de me identificar com os personagens, e se torna chato quando o personagen toma as mesmas decições e não fazem nada que "turbina" a história:p
    Infinity Drake entra para minha lista :D

    ResponderExcluir
  3. É uma pena q o autor tenha pesado a mão na fantasia neah..
    Não li nenhum livro da série Irado mas estava mto curiosa p ler este.
    Achei q essa capa dura e o trabalho de arte ficaram mtos lindos!
    Super caprichado!

    ResponderExcluir
  4. Eu não gosto nem um pouco quando a história fica cansativa, então acho que esse livro não seria um dos meus preferidos

    ResponderExcluir
  5. A historia e realmente relevante muito bom

    ResponderExcluir
  6. Esse eu vou deixar passar.. Bem Regular mesmo, não me interessou nem um pouco.

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um livro bom, e ainda mais sendo fantasia e ficçao que eu amo ne? Mas n e um livro q me interessou a ler nesse exato momento, mas qem sabe daqui a algum tempinho eu leia... #Igu

    ResponderExcluir