After | Anna Todd


Na hora de produzir uma história - seja de um livro, filme, série ou até vídeo game -, é preciso pensar em como o seu público vai absorvê-la. Ou seja, também é necessário decidir para quem você está escrevendo. O livro After, de Anna Todd, surgiu como uma fanfic de One Direction. Logo, o público-alvo atingido lá no começo, quando a história começou a fazer sucesso, eram as “directioners”. Sendo assim, ao falar de relacionamentos, a obrigação de Anna era manter certa didática, pois o pessoal que lê esse tipo de romance está começando a encarar os grandes dilemas da vida amorosa. After é um livro bom e que sabe – muito bem – falar sobre sexo. Mas, peca ao falar sobre amor.
O casal principal é bacana, tem características que fariam deles a dupla ideal, mas o grande problema é que eles são monótonos e não conseguem passar mais de três capítulos (sim, eu contei) sem brigar! A relação entre eles segue uma tríade repetitiva: briga - discurso meloso - sexo. As vezes as três coisas acontecem de uma vez só. Acho que o principal problema para o amor ser tratado de maneira tão falha na história está na plataforma da qual After se originou. Quem acompanha uma fanfic, sabe que há um tempo de espera entre um capítulo e outro. Essa espera faz com que a repetição dos fatos não seja tão cansativa, porque houve um tempo (fora da história) até a próxima briga do casal. Quando tudo isso é recolhido e colocado em um livro, fica repetitivo. 
Mas, quando o assunto é sexo, a história se transforma. Eu diria que After é muito mais um livro sobre luxúria do que sobre amor, principalmente levando em consideração os momentos finais. Primeiro, porque as cenas eróticas são muito bem escritas, sem deixar passar um detalhe sequer. Segundo, porque a autora - e retomo o que disse no início - soube escrever sobre isso diante das exigências do público. Ela alerta sobre o uso da camisinha (o que não acontece, por exemplo, no livro "Belo Desastre"que, para mim, é um belo desastre!) e trata o sexo como algo natural de todo relacionamento e que, embora haja quem julgue o erotismo, está entre os muitos fatores essenciais para manter uma união saudável. Terceiro, porque o desejo das personagens é bem mais sincero e evidente do que a paixão. 
A protagonista de After é uma garota chamada Tessa Young. Ela é perfeita em todos os aspectos. Linda, simpática, comportada, meiga, vive um relacionamento muito sério e está prestes a entrar em uma das melhores faculdades do país, a WCU. Ao mudar para a faculdade, ela descobre que a sua colega de quarto é praticamente o oposto dela. Uma rockeira dos cabelos vermelhos e completamente desligada dos padrões de comportamento. 
Mas, o que mais chama a atenção de Tessa, é o amigo da sua colega, um garoto chamado Hardin Scott. Cheio de piercings, tatuagens e um sorriso ao mesmo tempo encantador, cruel e misterioso. A convivência faz com que o garoto desperte em Tessa desejos que ela desconhecia e mostra para ela que não há nada de pecado em fazer o que gosta. A relação entre os dois se desenvolve pelas páginas do livro conforme Tessa se auto-descobre e vai deixando para trás quem ela era antes de conhecer o rapaz, comprometendo seu relacionamento, sua família e até suas convicções. É uma uma versão um pouco mais leve de "Cinquenta tons de Cinza" recomendável principalmente para aqueles que curtem um romance mais caliente



Rafael Palone

20 anos, é jornalista o tempo todo e Superman nas horas vagas. Potterhead, filho de Hermes, tributo, cinéfilo, membro da erudição, coldplayer, palmeirense, fanático por super-heróis, entre outros. Sabe tocar piano, teclado e campainha. Gosta de escrever e seu maior sonho é entrar no cinema para ver a adaptação de um livro por ele escrito.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

4 comentários:

  1. Não gosto de one direction, e esse livro tem uma cara de chatooo

    ResponderExcluir
  2. Li After e tem história de amor sim, principalmente que eles aprendem a enfrentar seus próprios medos, talvez vai virar filme, e o livro não tem nada haver com a one direction, só foi inspirado, como 50 tons de cinza foi inspirado pelo crepúsculo...

    ResponderExcluir
  3. Letícia, o livro se originou de uma fanfic de One Direction. Os personagens tiveram os nomes alterados para que o livro pudesse ser publicado, mas antes disso o Hardin chamava Harry, o Zed chamava Zayn.


    A resenha não nega que haja uma história de amor, mas diz que ela é falha.

    ResponderExcluir