Prince of Thorns | Mark Lawrence

Esteja preparado ao ler esse livro e a testemunhar acontecimentos que vão te levar ao delírio. O primeiro livro da trilogia de Mark Lawrence é no mínimo épico. Além de fazer referencias a grandes conhecidos como Shakespeare e Nietzsche, e também referências que vão muitas vezes além de “Game of Thrones”. Prince of Thorns ou Príncipe dos Espinhos é muito mais do que uma aventura medieval. É uma fantasia dark.
A própria Sinopse diz muito do que vem por aí: “Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de o seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família, nem tampouco fugir do horror. Jogado à sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.”

E para você que espera um bom e honrado herói ou até mesmo o mais terrível dos vilões, esqueça. Jorg é um anti-herói mais incrível que já conheci. Eu particularmente costumo torcer para aqueles heróis que tem um motivo nobre e segue até o fim com sua honra e senso de justiça. Até conhecer Jorg, que carrega um sentimento de ódio, misturado com um coração escuro, mas acima de tudo, que quer ser um rei como nenhum outro já foi. Sem contar o tamanho do seu ego, que é gigantesco.

Não podemos deixar de lado sua irmandade de assassinos. Com o decorrer da história você acaba entendendo o motivo de Jorg ter se juntado a eles. Mas o curioso agora, é que você pode conhecer muito dos principais assassinos que acompanham Jorg. Antes de cada novo capítulo, Mark descreve um pouco as características de cada um, isso sem precisar ser direto. Mark saboreia alguns detalhes e palavras que te deixa fã até mesmo dos piores assassinos.

Muitas pessoas vieram me perguntar se vale mesmo a pena ler o livro, e a resposta é sempre a mesma: “Claro!”. Não é puxar sardinha para o lado de Mark ou da própria Darkside que sempre vem fazendo um trabalho excepcional perto das outras editoras, mas sim ser sincero. O livro é bom mesmo. Está na lista de um dos melhores que já li. Apesar de ser fã de “Game of Thrones”, notamos que a escrita do George RR Martin é um tanto quanto maçante e difícil de adaptar, pelo menos no começo. Com Príncipe dos Espinhos não há essa dificuldade, Mark escreve com detalhes fáceis de serem imaginados e com uma leitura de linguagem mais tranquila.

Por fim, eu sempre costumo falar da edição da editora. E é óbvio que a Darkside está mais do que de parabéns. Merece muito estar entre as grandes e acredito que o crescimento deles vem crescendo em um ritmo muito alto, por conta do próprio capricho que eles tem com o livro. A edição de Prince of Throns é fenomenal. A capa dura parece até ser um pouco aveludada, diferente do comum. Até mesmo a folha é diferente, parece ser um pouco mais resistente e sem contar o mapa que está no começo do livro. E... aaah!Darkside!

Alison Iared

20 anos, apaixonado por teatro desde pequeno. Cursa o segundo ano de Engenharia de Produção. Gosta muito de filmes e séries sobre heróis, ficção, aventura, desenho e comédia. Eclético para livro e música. Gosta de desafios e é muito teimoso. Tem a paciência do tamanho de uma noz para coisas que não são do seu interesse. Sempre quis ser o Power Ranger vermelho.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário