A Menina Mais Fria de Coldtown | Holly Black

Não preciso falar novamente que eu realmente não gosto de histórias de vampiros, preciso? Por isso, eu passo o mais longe possível quando vejo ou ouço falar sobre esse tema. Eu até posso citar alguns motivos específicos para justificar esse preconceito com esse tipo de criatura, mas, depois que li A Menina Mais Fria de Coldtown, escrito por Holly Black, descobri uma só palavra que define o que mais me incomoda nas histórias dos sugadores de sangue: a superficialidade. 
Todo o marketing que envolveu o lançamento do livro prometeu uma história cheia de terror, sangue e mistério, e nisso o livro não peca (principalmente quando se trata de sangue). No entanto, a (pior) jogada foi esconder dos leitores sobre o que realmente a história se trata. 
A sinopse, por si só, já é misteriosa e nos dá diversas possibilidades de dedução, já que o termo “criaturas” pode se enquadrar em um monte de coisas. A minha história de terror começa logo depois disso. Ao começar a ler o livro, percebi que a história se tratava daquele tipo de criatura sobre a qual eu menos gosto de falar: vampiros. Resolvi arriscar.
Neste livro, os vampiros são comuns na sociedade. O vampirismo é considerado uma doença e, as pessoas infectadas – ou, ao menos, resfriadas –, são colocadas em quarentena em cidades fechadas por muros, que levam o nome de Coldtown’s. São nesses lugares onde vampiros e humanos coexistem, e nos mostram o quão interessante é essa premissa, principalmente aos olhos de quem gosta muito de histórias sobrenaturais. Diferente do que vocês devem imaginar, a personagem principal, Tana, não é uma vampira.
A trama começa quando Tana acorda dentro de uma banheira após uma festa na casa de uns amigos, e descobre que todos eles estão mortos – exceto seu ex-namorado Aidan. Para que eles possam fugir de toda essa confusão, o casal resolve partir para Coldtown em busca de uma solução para seus problemas. (O motivo é tão simples quanto parece).

Eu deixei meu preconceito de lado e devorei este livro como qualquer outro. Achei incrível a escrita da autora, apesar de não ter gostado completamente da tradução. Mas não posso deixar de falar que o desenrolar da história não me agradou em alguns aspectos. O primeiro deles é a superficialidade dos personagens, como citado no começo desse texto. A forma como eles interagem soa falso e frio. Eu acredito que essa seja uma característica comum em vampiros, mas, acreditem isso também acontece com outros personagens humanos.
Apesar dos apesares, confesso que quando a história estava próxima do final eu estava cogitando a possibilidade de dar 4 estrelas ao livro pelo seu desenvolvimento lógico. Porém, a trama desmoronou em suas últimas páginas, causando um plot twist forçado e sem graça.
Holly Black foi muito esperta ao criar uma sociedade onde vampiros são comuns e as histórias de terror são reais, mas deixou a desejar ao desenvolver as Coldtown’s, e me fez descobrir que todo suspense que envolve a história é desnecessário e tão superficial quanto vampiros.

Cristiam Oliveira

22 anos, se formou em administração mas gosta mesmo de comunicação. Tem uma paixão enorme por cinema e adora, sobretudo, os livros. É muito organizado, calmo, chato e grudento; se apega muito fácil às pessoas que gosta e, às vezes, é extrovertido. Adora mudar e criar coisas; é muito curioso e persistente em tudo que faz. Gosta de cachorro mas prefere gatinhos (inclusive tem dois!).

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

8 comentários:

  1. Eu tbm n gosto de filmes sobre vampiros. Pelo menos não dos atuais (mas tbm nunca li algo mais antigo). E vc conseguiu msmo descobrir uma palavra q definisse isso! hahaa
    Acho essa capa mto bonita, mas o enredo em si n me chama a atenção...ainda mais por s tratar de uma série...
    Não me anima mto em lê-la...

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de livros de vampiros, sem melação. Dos vampiros que botam medo: Drácula para ser mais exato. Esse livro não me chamou a atenção ..

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu tava tão ansioso pra ler esse livro, tipo muito mesmo, por causa da capa que achei muito bonita e tal, eu nem sabia sobre o que se tratava o livro, ma agr que vc disse que fala de vampiros e que tudo soa tão superficial, perdi tdo o encanto dessa leitura. :/

    ResponderExcluir
  4. Tô com Gata Branca, da Holly Black, pra ler :3

    Curti o jeito que vc disse que o final é um lixo mas sem desmerecer o retante da história :D

    ResponderExcluir
  5. Novo Conceito sempre arrasando nos lançamentos, estou super ansioso para ler esse, sem contar que a capa é muitooo bonita :)

    ResponderExcluir
  6. Eu estava com vontade de ler esse livro, até porque adoro vampiros. Mas depois de ler algumas resenhas... desanimou. Mas um dia ainda vou tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  7. Eu quero muito ler esse livro, espero que eu também goste :3

    ResponderExcluir