Annabelle | John R. Leonetti

O Brinquedo Assassino Chucky já passou por mais de cinco diretores que apelaram desde o pastelão até a violência para perceber que o boneco não combina com uma história de terror. Não que sejam filmes ruins, mas a premissa de Chucky é a de um típico “terror para criancinhas”, muito efetiva em 1988 quando o primeiro filme saiu. 
Para quem já não tem mais uma percepção infantil, o boneco perde seu valor assassino a partir do pressuposto em que bastava subir em cima de uma mesa ou pisar em cima dele para que ele não conseguisse matar ninguém. Afinal, é um boneco. Annabelle também é uma boneca, mas, mesmo assim, o filme consegue ser parcialmente assustador. Sabe por quê? O filme Annabelle não é sobre a boneca Annabelle
É um filme sobre demônios, sobre sacrifício e sobre relacionamento pais-e-filhos. Mas é claro que, com uma boneca no meio do enredo, toda a venda do filme seria em cima dela. O interesse das pessoas é despertado a partir do momento que você toma algo que causa a identificação - um acessório da infância, um brinquedo - e o demoniza. Bingo! Temos Annabelle, a boneca malvada que consegue assustar todo um cinema apenas ficando sentada na estante com aquele olhar e sorrisinho de “Vou te matar”. 
Mas o contexto da história depende muito mais de outros pontos do que de uma boneca de louça possuída. É muito difícil produzir um filme de terror sem fugir dos clichês, afinal se as pessoas já se assustam com algo há certo tempo, elas vão continuar se assustando, então vale a pena investir nisso. Porém, Annabelle quebra essa barreira e consegue produzir boas cenas de susto e suspense, como a do elevador, a dos papéis na escada e a do carrinho. Não vou entrar em detalhes para não dar spoilers, mas vale a pena lembrar que nenhuma dessas cenas (que, para mim, foram as melhores) precisou da boneca para chamar atenção. 
Em Annabelle, uma esposa grávida recém-casada ganha do marido a boneca que faltava para a sua coleção. Após a casa ser invadida por dois jovens que praticavam rituais satânicos, a polícia é acionada e os invasores são mortos. Um deles, com a boneca Annabelle na mão. Depois de um tempo, movimentações estranhas são percebidas em volta do casal e da bebê recém-nascida. 
Vale a pena para quem gosta de levar sustos, mas também vale a pena para quem gosta de dar risadas. É um filme levianamente bom, mas que foi lançado com uma grande confusão entre o que foi vendido e o que realmente oferece. Não espere muito da boneca, mas espere do terror. Afinal, com uma boneca, a gente pode subir na mesa para se salvar. Com o resto, já não é tão fácil assim!



Rafael Palone

20 anos, é jornalista o tempo todo e Superman nas horas vagas. Potterhead, filho de Hermes, tributo, cinéfilo, membro da erudição, coldplayer, palmeirense, fanático por super-heróis, entre outros. Sabe tocar piano, teclado e campainha. Gosta de escrever e seu maior sonho é entrar no cinema para ver a adaptação de um livro por ele escrito.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

7 comentários:

  1. Anabelle to ancioso pra assistir pra ter sustos kk

    ResponderExcluir
  2. Esse filme parece ser bom, eu quero assistir*_*

    ResponderExcluir
  3. Eu não achei esse filme TÃO bom do jeito que andam falando '-'
    mas vale a intenção assitir para se distrair.

    ResponderExcluir
  4. Esse eu nunca vou assistir. Odeio Terror, odeio filmes, livros, qualquer coisa relacionada a terror.

    ResponderExcluir
  5. Parece ser muuuito assustudor !
    Quero incrivel, quero muuuito assistir este filme !

    ResponderExcluir
  6. Candidata Anabelle, a senhora está sendo leviana.

    ResponderExcluir