Nosferatu | Joe Hill

"Uma reinvenção do épico vampiresco" - USA Today


Esqueça tudo o que você já leu sobre vampiros, mundos paralelos e canções natalinas. Joe Hill vai transformar sua concepção sobre o que é uma boa história de vampiro.
Nosferatu trata de duas histórias distintas que se entrelaçam no decorrer da narrativa.
Victoria McQueen é uma criança com pais problemáticos e com uma vida que nunca teve muita graça, até o dia que ela ganha o presente de seus sonhos: uma bicicleta. Entretanto, ela não é uma simples bicicleta. Por meio dela, Vic consegue atravessar a Ponte do Atalho que a leva a para o lugar que quiser a fim de encontrar coisas perdidas.
E Vic não é a única com um dom especial. Charles Talent Manx, muito mais velho que ela, possui um Rolls-Royce (um carro antigo) e com ele sequestra crianças e as leva para a curiosa e tenebrosa Terra do Natal. Porém, quando elas chegam lá, estão longe de ser crianças normais.
Um dia, Vic, atrás de encrenca, acaba na Terra do Natal e se torna a primeira a escapar das garras de Manx. Contudo, muitos anos depois, o sequestrador está de volta. Disposto a se vingar de Vic, agora adulta, ele quer tomar dela umas das únicas coisas com que ela realmente se importa.
Até agora nada de vampiros, certo? Aí que está o diferencial de Hill. Apesar de se apropriar de algumas características comumente encontradas nos livros do gênero, ele as reinventa e adiciona novos aspectos inimagináveis.
O frenético livro do filho do aclamado Stephen King comprova que o dom é genético. Nosferatu é aquele tipo de livro que te faz esquecer de comer e dormir, mas não te faz esquecer dele e das criaturas introduzidas na obra. Apesar de ter um pouco mais de 600 páginas, elas se transformam em um pouco menos de cem, devido ao ritmo que Hill dá à obra.
Durante a história diversos acontecimentos me fizeram questionar como que alguém pode pensar em algo assim. A narrativa é inteligente, intrigante e assustadora do início ao fim. E o autor soube muito bem misturar características do clássico, Nosferatu, trazendo o terror para a história, com uma pitada de drama e perseguição policial.
O mais incrível é como Joe Hill é capaz de fazer o leitor questionar o que é real na história. Por momentos, ele nos faz crer que o que estamos lendo realmente aconteceu na narrativa. Em outros nos faz duvidar de nossas certezas. Tal característica torna Nosferatu desesperadamente intrigante.

Dica: uma ótima trilha sonora para esse livro é o CD The Nightmare Revisited, que contém versões de artistas famosos das músicas do filme O Estranho Mundo de Jack.


Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

3 comentários:

  1. Nossa, foi bem empolgante essa resenha, gostei demais.. Nunca ouvi falar nesse livro, Obrigado Índice, minha melhor fonte de livros.

    ResponderExcluir
  2. Não gostei muito da capa, mas a resenha... Sem palavras!! Esse livro é muito caro?

    ResponderExcluir
  3. Realmente parece ser muito interessante. Este livro estará nas minhas leituras de 2015. Obrigada Bia, por esta empolgante resenha! :-)

    ResponderExcluir