A Teoria de Tudo | James Marsh

O filme, baseado no biografia de mesmo nome escrita por Jane Hawking, conta a história do romance de Stephen Hawking (Eddie Redmayne) com Jane Wilde (Felicity Jones). Além disso, o gênio astrofísico fez incríveis descobertas que mudaram o mundo da física, sofre de uma doença motora degenarativa, esclerose lateral amiotrófica.

O filme já começa quando Hawking acaba de entrar em Cambrigde para realizar o doutorado. É justamente nessa época que as três coisas (a descoberta, o romance e a doença) acontecem, um em seguida do outro. Logo após começar a estudar na universidade, Hawking conhece Jane e se apaixonam, contudo os primeiros sinais da doença não demoram a aparecer, o que dificulta o relacionamento dos dois. Em meio das dificuldades, e mesmo com expectativa de viver apenas mais dois anos, Stephen decide continuar com o doutorado sobre o tempo e assim faz a grande descoberta.

Para quem não sabe a doença de Hawking fez com que ele perdesse praticamente todos os movimentos voluntários de seu corpo, além da fala. Portanto, no início do longa ele está andando de bicicleta, enquanto a doença vai avançando e ele começa a perder os movimentos então passa a usar uma bengala, depois dois, vai para a cadeira de rodas convencional até no final ele está numa cadeira de rodas que é, praticamente, um ciborgue.




A atuação de Redmayne, auxiliada pela sua semelhança com o astrofísico e pela maquiagem, torna o longa mais parecido com um documentário do que com um filme. É incrível a forma como o indicado ao Oscar de melhor ator conseguiu capturar a forma exata de interpretar Hawking. Desde a personalidade brincalhona até a fala e os difíceis e específicos movimentos foram capturados por Eddie. Mesmo sem quase nenhuma expressão e utilizando a voz computadorizada** o ator consegue transmitir os sentimentos desejados.
Além de ter que perder peso, o ator gravou as cenas fora da ordem cronológica, como o mesmo disse em entrevista ao USA Today. Para ele essa foi uma das partes mais difíceis de toda atuação, cada movimento dele foi coreografado.

Felicity Jones também fez um trabalho incrível ao interpretar a espetacular Jane. Sua personagem é, sem dúvida, uma forte mulher que supera inúmeras dificuldades para ajudar Stephen e ficar ao seu lado. Na trama também acompanhamos o sofrimento da mãe de três filhos, que acaba esquecendo se si mesma, pois tem de cuidar dos filhos, do marido e da casa, o qual Jones brilhantemente consegue transmitir para a telona.

Apesar das brilhantes atuações e de uma incrível fotografia que soube muito bem aproveitar os cenários utilizados. A Teoria de Tudo deixa a desejar quanto ao roteiro que poderia ter abordado algumas outras situações vividas por Hawking, mas para isso teria que deixar de lado um pouco do romance, no qual o filme é focado.

**Curiosidade: o voz computadorizada utilizada no filme é a real de Stephen, e ele tem copyright sobre ela.






Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

7 comentários:

  1. Parece ser um filme legal, mas a história não me atraiu muito. Acho que não faz muito o tipo de gênero que eu goste quem sabe algum dia compro o Livro ou o DVD para ver se a história realmente é boa como muitos dizem. Amo suas resenhas Beatriz! 😍

    ResponderExcluir
  2. Ai Eu tou louca pra ver esse filme, me emocionei só com o trailer, já vi muitas críticas sobre o filme e todas são boas, aguardando sair pra download em uma boa qualidade kk
    Stephen é um cara foda! E esse ator parece demais com ele fisicamente, é incrível, que pena que a história foca mais no romance, Hawkins é um cara incrível e realmente poderia ter sido mais explorado. Mas mesmo assim, estou muito ansiosa pra ver!

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muuuuuuito assistir esse filme. Acho que irá ganhar algum Oscar e fiquei um pouco chateada com a divulgação nos cinemas, pois não foram em todos que ele estava sendo transmitido. Enfim, muita gente falou que o filme foca apenas o romance e 'esquece' um pouco da doença, mas eu acho que está tudo interligado não? Como tudo aconteceu junto, não tem como falar que tem uma coisa a mais aqui ou ali. Bom, quero tentar ver antes de domingo. Será que consigo?
    Beijos,
    Carol

    ResponderExcluir
  4. Você não tem noção a vontade que estou de ler/assistir A teoria de tudo. Ainda mais por ser inspirada na história do próprio Físico.
    A editora parceira do meu blog publicou, e com certeza em breve irei solicitar para a leitura!!!
    Seu post ficou demais

    www.gemices.com.br

    ResponderExcluir
  5. Estou bastante ansiosa pra conhecer essa historia.. provavelmente vou acabar vendo o filme primeiro.. antes de ler o livro..

    ResponderExcluir
  6. Oi Beatriz!! nossa mtoo emocionate o filme imaginaa o livro entaoo deve ser perfeito... não foi a toa que recebeu o oscar o ator e mtoo bom, nossa a historia e impressionante comovente e triste :(.. ameei a resenha bjoos..

    ResponderExcluir
  7. Uma historia surpreente, esse livro e filme ganhou meu coraçao esse ano... me emoocionei bastante ao ler. nao tem como nao se emocionar e lindo a historia, mto triste tbm.. recomendo de olhos fechados..

    ResponderExcluir