Misery, louca obsessão | Stephen King

Romances clichês são vendidos aos montes e sempre arrecadam quantias absurdas para seus criadores. Mas o qual é a história por trás dele? O que leva bom escritor apelar para esse tipo de literatura? E o mais importante: Quais são as consequências de escrevê-lo?

Paul Shedon é um desses escritores, apesar de ter talento de sobra, começou a contar a história de Misery. Um dos dias mais felizes de sua vida foi quando, finalmente, pois fim a vida da famosa personagem, uma mulher, que mais parece uma menina, virgem e inocente presa entre dois homens que são apaixonados por ela (qualquer semelhança é mera coincidência).
Talvez o dia da morte da personagem só perca para o dia mais feliz da vida de Paul, para o dia em  que  terminou "Carros Velozes". Um romance totalmente diferente dos da série de Misery, muito mais elaborado e que provavelmente não venderia nem a metade de seus livros anteriores. Mal sabia o escritor que, logo após o fim do livro, sofreria um acidente e ficaria sob as garras de Annie Wilkes por meses.
"Misery, uma louca obsessão", não é um livro normal (mas nenhum dos livros de Stephen King é assim). No começo pode até parecer comum, uma narrativa leve sobre um escritor que acaba de terminar sua obra prima e é sequestrado por sua maior fã. Entretanto, o livro sai da classe do "só mais um na estante" no momento em que percebemos que Annie não é só mais uma grande fã, mas uma psicopata. E King não é só mais um escritor, mas um mestre.
O livro começa num ritmo tranquilo, mesmo quando Paul sofre o acidente e é sequestrado. Annie só parece levemente louca, nada de muito absurdo. Contudo, no decorrer da narrativa, percebemos que a sanidade da maior fã do escritor é inexistente.
Stephen King é um rei quando o assunto é perturbar e assustar o leitor. A forma como ele leva a história é maestral, e engana o leitor provocando sustos dignos de um incrível filme de terror. Além disso, a descrição macabra do autor chega a, por vezes, enjoar o leitor como se a cena estivesse acontecendo bem na sua frente. Por isso, não leia depois de comer ou leia enquanto come, você pode ter surpresas desagradáveis.
O modo como o autor constrói Annie no decorrer do livro é brilhante e, ao mesmo tempo, assustador. Nos faz questionar como alguém pode imaginar uma personagem dessas, nos faz temer e admirar a mente que a criou.

Vale lembrar que o livro foi adaptado para as telonas em 1990 e garantiu o Oscar de melhor atriz principal para Kathy Bates que interpretou Annie Wilkes. E também a Annie de Bates foi considerada o 17 vilão maior vilão da história pela American Film Institute.

Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

9 comentários:

  1. Tipo : Ahn ? Wtf ?
    Se um dia eu chegar a sequestrar Youtuber's com certeza eu seria uma louca varrida. Principalmente o Lira ... c;

    ResponderExcluir
  2. Nooooossssaaa que *ODA. Nunca li nada do Stephen, mas sempre tive muita curiosidade por seus livros. A resenha me deixou ainda mais curioso!
    Me apaixonei pelo autor e pelo livro! Não dava muita coisa pela capa, sorte que estava enganado. 😁
    A resenha ficou maravilhosa Beatriz!!! Com certeza vou ler!! Quero explorar novos autores e gêneros. Creio que esse livro vai me surpreender. Parabéns pela resenha Beatriz!! Ficou muito boa!! 😊 💐

    ResponderExcluir
  3. Que foda! :o

    Eu já morria de vontade de ler esse livro, e agora! :o Beatriz, para quem nunca leu nada do King, pode esse ser uma boa pedida?

    O livro está na minha lista há tempos! Ok, eu não sabia que a história tratava de uma fã psicopata e um autor renomado, mas sabia que o jeito do King escrever era incrível, porém, não tão macabro assim como você descreveu! *-*

    Necessito! Bjs e parabéns! Porque isso sim é uma resenha :o

    ResponderExcluir
  4. Claro que é! Pode ler, se você gosta do gênero vai adorar o livro!


    Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Aaaah Meu Deus, eu nunca li nada do King, mas a um tempo atras me bateu uma vontade enorme de ler algum livro dele e incrivelmente os livros dele que estão na minha meta de leitura eram O Iluminado e Misery, por sua história que me pareceu algo brilhante apenas pela sinopse e agr então vejo que eu nao estava errado, Misery é um livro que eu realmente quero muuuuito ler u.u #Igu

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca li nada do escritor e sempre ouvi maravilhas a despeito e esse livro parece ser muito bom, muito mesmo. E se formos olhar só pela capa, não dá pra botar muita fé, mas quero muito "conhecer" melhor Annie, estudo psicologia, então esse livro precisa muito ser lido.

    ResponderExcluir
  7. Nunca li nem nunca assisti adaptações dos livros do Stephen King, não gosto do estilo dos livros dele, não gosto das capas, nada. Pra mim não estou perdendo nada, tem muitas outras coisas que na minha opinião é melhor me esperando. Então, passo...

    ResponderExcluir
  8. A única obra de terror boa dele chama-se A TEMPESTADE DO SÉCULO. Na verdade é fascinante.
    IM SONHO DE LIBERDADE e À ESPERA DE UM MILAGRE são obras que não são de terror, mas são boas.
    O ILUMINADO me dá sono!

    ResponderExcluir