Filme: Attack On Titan: Part 1

Live-actions quase sempre são polêmicos: dividem as opiniões dos fãs, não seguem o mangá ou o anime como esperado, o casting às vezes é feito de forma errada, entre outros motivos, que fazem muitos desgostarem deles. Eu nem sempre amo os live-actions que vejo, mas gosto de ver por curiosidade, principalmente se é de algo que eu gosto muito, como é o caso de Attack On Titan.

Baseado no mangá de mesmo nome, o longa se passe no mundo criado pelo autor, Hajime Isayama. Após a Terra ser atacada e invadida por titãs humanoides que comem pessoas, os habitantes que sobrevivem passam a viver em um locais delimitado por gigantescas muralhas que supostamente protegem os humanos tos Titãs.

É nesse mundo, no qual os curiosos adolescentes, Eren, Mikasa e Armin, vivem. Eles são muito intrigados para descobrir o que há além das muralhas, principalmente um deles, Eren que nem sequer acredita nos Titãs, uma vez que nenhum é visto há mais de 100 anos. Tudo muda quando um enorme titã aparece e destrói uma das muralhas matando e prejudicando inúmeras pessoas. É então criada uma tropa especial do exército destinada a recuperar e conquistar mais territórios livrando eles dos indesejáveis comedores de humanos.

O enredo praticamente é o mesmo, as personagens tem o mesmo nome que as da história original, mas a única conclusão qual eu cheguei é que tirando a quantidade de sangue, o nome das personagens, a história base e o nome do longa, esse filme não é Attack On Titan.

O filme começa com uma breve introdução da história do mundo de Attack On Titan para aqueles que ainda não o conhecem, sendo assim não é necessário conhecimento prévio sobre história para assistir ao longa.

Apesar de os efeitos especiais não serem como os de uma produção hollywoodiana e alguns aspectos deixarem muito a desejar, eu gostei da representação do titã colossal, os outros titãs foram feitos de forma bizarra e medonha, assim como no anime e no mangá. 

Os cenários foram mal aproveitados pelo diretor, Shinji Higuchi. Uma parte tão importante e muito utilizada no mangá e no anime foi simplesmente deixada de lado. As personagens tiveram traços 
marcantes de suas personalidades alterados e cenas importantes foram cortadas ou encurtadas. Além disso, a trilha sonora é péssima. As músicas escolhidas não são apropriadas para as cenas e até tiram a sua atenção do que realmente está acontecendo.

Se você pretende ver o live-action tenha uma coisa em mente: é preciso ter estômago para aguentar ver as pessoas sendo comidas pelos titãs. Essas cenas podem ser bizarras, mas ao mesmo tempo são extremamente nojentas e por vezes tão detalhistas que é possível ouvir o barulho os ossos da pessoa se quebrando enquanto ela é mordida pelo titã. Pra mim, a não ser que você realmente goste e queria ver todo esse sangue, não compensa assistir ao longa. 

O filme inteiro é uma mistura de bizarro, medonho, nojento, desespero e muito muito sangue, com um toque especial de uma trilha sonora estranha. O longa não funciona nem mesmo se esquecermos a história original.



Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário