O que aconteceu na CCXP?

Perdeu a Comic Con Expirience? Não está entendendo nada do que estão falando sobre o evento? Então vem cá que a gente te conta!

A Comic Con Expirience (CCXP) é o maior evento de cultura pop da América Latina. Ela acontece anualmente, desde o ano passado, em São Paulo e dura quatro dias. As atrações que estão presentes no evento sempre são relacionadas aos mundos das séries, quadrinhos, filmes, livros, entre outros aspectos da cultura pop. Confira algumas das coisas que aconteceram na edição desse ano do evento:

Dia 1 - quinta-feira 
Nesse dia eu cheguei apenas às 7 da noite, então não consegui ver painéis ou o evento. Aproveitei pra passar nas lojas, já que teoricamente esse seria o dia em que a CCXP estaria mais vazia.

O que eu encontrei foi uma Panini com um enorme stand repleto de produtos antigos, novos e até edições especiais e exclusivas pra quem foi na Comic Con. O que decepcionou foi a falta de um lugar reservado com promoções, assim como na edição do ano passado.

A Star Wars Store tinha filas até o final do evento, mas valia a pena entrar. Lá tinha produtos que eu nunca havia visto antes como copos, xícaras, camisetas de modelos diferentes da franquia. O preço variava de um copo de R$12,90 do R2D2 até figures de cerca de 10 centímetros por R$200, entre outros.

Também havia um stand da loja Mundo Geek que, assim como a loja do Star Wars, sempre estava lotada e com filas. Tinha de tudo, desde pratos do Darth Vader e do Strom Tropper (o conjunto com um de cada custava R$69,90) até uma TARDIS para que os fãs de Doctor Who tirassem foto e, os que a postassem no Instagram, recebiam uma cópia da mesma impressa na hora.

A Comix foi uma das lojas que não entrei, as filas que davam voltas e jamais diminuíam me desanimaram.

A loja oficial da CCXP tinha blusas exclusivas  do evento e de franquias como Star Wars. Produtos com o logo do evento não faltavam, a variedade ia de copos a nomes da New Era.

Dia 2 - sexta-feira
Foi nesse dia que eu comecei a chegar cedo. Cheguei perto das 6 da manhã e uma fila já me esperava. A maioria das pessoas estava lá para ir aos painéis que no dia contavam com Frank Miller, Jim Lee, Gerard Way, John Rhys-Davies e David Tennat, como atrações principais. Mas ainda haviam pessoas que iriam tentar pegar os autógrafos de Frank Miller e Gerard WAY, distribuídos por ordem de chegada.

A entrada foi um caos. A própria CCXP fez um gif incrível sobre:
Cada um correndo para um lado, desesperados, foi uma confusão.

O painel de John Rhys-Davies mais conhecido como Gimli de Senhor dos Anéis. Foi marcado pela simpatia do ator que levantou e passeou pela plateia indo até os fãs que queriam lhe fazer perguntas. "Vou ensinar para vocês como se fazem perguntas", disse o ator.

Logo depois veio a lenda viva dos quadrinhos Frank Miller que foi, obviamente, aplaudido de pé por todos que estavam no local. O seu painel foi marcado por lágrimas dos fãs que conseguiram falar com ele e as suas respostas sinceras.

Logo depois entrou Gerard Way e Gabriel Bá para falarem da HQ que fazem em conjunto, Umbrella Academy. Infelizmente, algumas pessoas não entenderam a real razão de Gerard estar  lá ser a divulgação da HQ e até pediram para ele cantar. O ex-vocalista do My Chemical Romance (que terminou em 2012) logo fechou a cara e disse "Eu não estou aqui para cantar".

Jim Lee foi o próximo e além de ser super simpático, ainda deu um desenho de sua autoria para um fã que fazia aniversário no dia.
Depois de muita espera o painel mais aguardado do dia chegou, o do serviço de Streaming Netflix. O ator de Doctor Who e Jessica Jones, David Tennant, era a atração principal e provou isso apenas ao entrar no palco, com os gritos insanos das mais de 2000 pessoas. Apesar da espera, o painel durou cerca de 20 minutos. Érico Borgo, entrevistador, fez algumas perguntas rasas e a plateia fez mais duas, a segunda a qual Tennant nem teve a chance de responder, pois Borgo o interrompeu dando fim ao painel, deixando fãs irritados que começaram a sair do local e ainda teve um tulmulto que aconteceu SÓ no final do painel quando algumas pessoas desceram até o palco para tentare tirar foto com os dois artistas.

Dia 3 - Sábado
Depois do caos do dia anterior a organização para entrar no painel do Misha Collins melhorou, com filas separadas para quem iria assistir o painel do ator e para aqueles que assistiriam à pré-estreia do filme "O Bom Dinossauro" e ainda pulseiras para quem iria no painel do ator de Supernatural. No início as filas pareciam muito organizadas, mas depois da entrada, pelo corredor de acesso ser muito largo, muitos furaram fila e eu ainda ouvi relatos que na fila para a pré-estreia as coisas estavam mais bagunçadas.

Misha Collins esbanjou simpatia, respondeu perguntas da plateia, colocou uma "capa" da bandeira do Brasil e muito mais. A única coisa que acabou estragando foi o comportamento de alguns fãs que prejudicaram o painel pois ficavam descendo para tentarem tirar uma foto ou entregarem presentes para o ator. Por conta disso o painel acabou mais cedo.

No mesmo dia choveu e, como eu fui embora 2 horas antes do término do evento, ouvi de outras pessoas que a energia acabou e ao saírem enfrentaram alguns lugares alagados.

Dia 4 - Domingo
Para mim foi o dia mais lotado. Novamente houveram confusões na fila que no início era organizada, mas depois virava um caos. O painel do Misha Collins foi muito mais organizado e, sem ninguém indo até o palco, todos conseguiram aproveitar mais.

Logo em seguida o figurinista de Batman vs Superman entrou no palco e falou sobre como elaborou as roupas do Superman, do Batman, da Mulher-Maravilha e um pouco sobre a do Aquaman. Ele ainda disse que está trabalhando agora nas roupas para o filme da Liga da Justiça. O mesmo filme também foi um dos temas abordados do painel da Warner que confirmou, entre outras estreias, os filmes 1 e 2 de A Liga da Justiça.

Nesse mesmo dia eu fui tirar uma foto com Misha Collins. Todo o processo demorou cerca de duas horas, sendo que desse tempo nem 5 segundos foram com o ator. Para tirar a foto eu cheguei meia hora mais cedo e esperei uma hora e meia até finalmente tirar a minha foto. Depois ainda esperei 40 minutos até acharem minha foto.

Mesmo com problemas de organização, fãs surtando, calor excessivo e muita, mais muita gente. A CCXP foi épica, apesar de que poderia ter sido bem mais.

Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário