Já ouviu falar em a semente do mal?

Aqui no Brasil, "semente do mal" já foi título até de filme de terror. Mas nos Estado Unidos, bad seed é utilizado como uma gíria. De acordo com o Urban Dictionary, é utilizada "quando alguém tem a pré-disposição genética para um mal comportamento (e é uma potencial má influência para os outros)". Esse termo surgiu após o autor William March lançar o seu livro The Bad Seed ou Menina Má, em português.

Esse polêmico livro foi lançado no ano de 1954 e dois anos depois um filme de mesmo nome, inspirado na obra de March, estreou.

Menina Má conta a história de Rhonda Penmack, uma garotinha de 8 anos, e de sua mãe Christine Penmack. Rhonda não é como as outras crianças de sua idade, a pequena e loira menina nunca se suja quando brinca, tem uma mente fria e calculista, é extremamente organizada, e apenas demonstra afeto para conseguir algo que lhe interessa. Ela destoa muito de sua frágil e amável mãe, que vive para a filha, frequentemente escrevendo amorosas cartas ao marido que está no exército.

A ambiciosa Rhonda sempre fez de tudo para conseguir o que quer, e quando perde uma medalha escolar para um outro aluno de sua classe, isso não muda. 

Na história, March mostra o quanto domina, não só a arte da escrita, como também inesperados aspectos da psicologia. Todos os seus personagens têm um aprofundamento psicológico fora do comum, o que torna o livro muito mais interessante. Enquanto você lê o livro, sente uma grande aproximação com cada personagem, devido às análises psicológicas que o autor faz de cada um deles.

Até a narrativa acompanha o personagem, dependendo em quem está o foco. Em uma das mais incríveis narrações do livro, Christine está numa festa e, devido aos muitos problemas que tem, não está conseguido concentrar-se na conversa que estava tendo. A narração de March conseguiu capturar com maestria a distração e os turbulentos sentimentos da personagem. 

Além disso, apensar de ter sido escrito na década de 1950, o livro prova ser atual. Tanto em sua linguagem, quanto no retrato da sociedade, um fato que, por vezes, chegou a me assustar.

Grande parte das pessoas já vai ler o livro sabendo o que esperar da pequena e fria Rhonda, mas mesmo assim o autor consegue surpreender todos com fatos e fatores inesperados que tornam a narrativa viciante.

A influência dessa obra de March, presente até mesmo na cultura americana, não é à toa. A leitura desse clássico, lançado (com uma incrível capa, preciso dizer) pela DarkSide, será certamente algo diferente de tudo que você já sentiu.


Beatriz Marques

19 anos, estuda jornalismo. Gosta de muitas coisas e de tudo ao mesmo tempo. Leitora assídua, fangirl 24/7, cosplayer por diversão, orgulhosamente é da Grifinória, filha de Hades e whovian. Algumas das suas paixões são: sua guitarra (apelidada de Emily), cantar, séries, livros, animes, mangás, filmes, HQ's, música, shows e história.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário